MODA/BELEZA

TEMOS QUE TER UM CUIDADO MAIOR COM AS UNHAS DURANTE A PANDEMIA

CUIDADO COM AS UNHAS DURANTE A PANDEMIA

Por Lucia Souza

Pandemia também é tempo de cuidados especiais com as unhas e dar uma trégua no uso contínuo de esmalte. Desta forma você evita riscos de infecção por fungos, enfraquecimento e ressecamento.

Aproveitar a quarentena para fazer um ‘detox’ das unhas pode trazer benefícios futuros.

O uso de esmalte sem pausa pode predispor a infecção das unhas por fungos, além disso pode gerar enfraquecimento e ressecamento. Como durante a quarentena muita gente não está esmaltando as unhas, essa pode ser uma das boas práticas nesse momento. A dermatologista Fernanda Seidl, do Rio de Janeiro, explica que o uso contínuo de esmaltes deixa as unhas fracas e aumenta a probabilidade de desenvolver algum tipo de micose.

A médica diz ainda que o uso contínuo de esmalte impede a hidratação da placa ungueal, tornando as unhas mais frágeis e quebradiças. “Os fungos que causam as micoses são oportunistas e se proliferam em ambientes úmidos e abafados. Com o uso contínuo de certa forma abafa as unhas deixando-as mais vulneráveis a essa doença, independentemente da cor do esmalte. E os tons mais escuras, inclusive, tendem a deixar a unha amarelada”, ressalta.

A dermatologista sugere aproveitar esse período de pandemia para deixar as unhas ao natural. “A quarentena é um bom momento para deixar as unhas sem esmalte ou base e hidratar as mãos com frequência. Existem hidratantes específicos para mãos e para as unhas no mercado. Uma boa dica é usar óleo de amêndoas, por exemplo. Ele cumpre muito bem a função de hidratar”, avisa.

A doutora Fabiana Seidl recomenda que as unhas estejam bem cortadas, lixadas e sem a retirada das cutículas, promovendo assim uma proteção contra a entrada de microorganismos na pele ao redor das unhas. “Quando ressecadas, as  cutículas geralmente incomodam, por isso a hidratação é importante. Empurrar as cutículas gentilmente e retirar com alicate as partes mais incômodas não está proibido.

O que não recomendável são unhas compridas, mesmo que higienizadas, pois funcionam como um reservatório para vírus, bactérias e fungos”, destaca a dermatologista.

A médica sugere ainda a troca da acetona pelo removedor de esmalte ou óleo de banana. “A acetona fragiliza as unhas”, finaliza.

Related posts

ALINE MALAFAIA EMAGRECEU OITO QUILOS DURANTE A QUARENTENA

Marco Moraes

A VERDADE SOBRE A VITAMINA “D”.

Marco Moraes

OS BENEFÍCIOS DOS EXERCÍCIOS FÍSICOS NA TERCEIRA IDADE

Marco Moraes

Comentar